XXVII REAF AMPLIA O DEBATE SOBRE A AGRICULTURA FAMILIAR

Durante a reunião, representantes do Brasil e de vários outros países discutem os rumos e desafios da assistência técnica e extensão rural, juventude rural, mulheres rurais e conflitos agrários

A Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) participa, nesta semana, da XXVII Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), realizada pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), de 04 a 08 de dezembro, em Florianópolis (SC).

A Reaf reúne representantes de organizações da agricultura familiar e instituições governamentais do Brasil e de vários outros países para discutir os rumos e desafios da assistência técnica e extensão rural (Ater), juventude rural, mulheres rurais e os novos conflitos agrários.

Para o presidente da Anater, Valmisoney Moreira Jardim, é um momento muito oportuno para a Anater participar desse diálogo. “Nesse momento, a Anater está iniciando a operacionalização dos projetos junto aos agricultores familiares de todo o País e a gente percebe que tanto os desafios quanto as oportunidades nos aproximam. Tenho certeza de que essas discussões nos ajudarão a traçar o melhor caminho para a ater brasileira”, avalia

Lautaro Viscay, secretário técnico da Reaf, explica que a reunião é uma oportunidade de promover o diálogo entre as organizações da agricultura familiar e governos.  Segundo ele, as transformações mundiais pedem mudanças de paradigmas com a inclusão de novas metodologias para que, entre outras missões, seja possível combater a fome no mundo e garantir a segura alimentar. “Os fóruns devem ser meios de transformação e a oportunidade do diálogo é a base central para um mundo com mais igualdade e qualidade de vida”, afirma.

De acordo com o coordenador de assuntos da agricultura familiar e cooperação internacional da Sead, Hur Ben Corrêa da Silva, o debate dos quatro temas propostos entre as organizações da agricultura familiar e instituições governamentais vão possibilitar a construção de políticas públicas mais eficazes par o setor.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.