Com articulação do Governo do Amazonas, Banco do Brasil disponibiliza recursos de R$ 50 milhões para o setor primário

O Banco do Brasil vai disponibilizar R$ 50 milhões de linhas de crédito adequadas às necessidades de cada produtor rural do Amazonas até junho de 2018. Os recursos foram garantidos pelo Governo do Amazonas, na manhã desta terça-feira (28/11), durante uma reunião entre os dirigentes do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (IDAM) e o gerente de Mercado da instituição financeira, José Maria Canto.

De acordo com o diretor-presidente do Idam, João Campelo, com esses recursos o produtor rural conseguirá financiar as despesas de produção, investir em benfeitorias, tratores, máquinas e implementos agrícolas, além de comercializar sua produção, com o apoio da Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS) e a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB).

 “O Idam firmou uma cooperação técnica com o Banco do Brasil na elaboração de projetos e estamos presentes nos 62 municípios através das nossas unidades locais para atender o agricultor familiar e o produtor rural nos programas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), Plano Safra e Crédito Rural. Essa parceria vai possibilitar que os requisitos técnicos para financiamentos sejam atendidos e o recurso seja aplicado de forma correta”, afirmou João Campelo.

 O gerente de Mercado do Banco do Brasil, José Maria Canto, citou como exemplo o município de Tefé, que recebeu um financiamento de R$ 400 mil reais para construção de oito casas de farinha através de um projeto elaborado por técnicos do Idam no município.

 “A ideia do banco é atender tanto o produtor, quanto associações e cooperativas com linhas de crédito específicas para esses seguimentos. Para obter estes recursos todos têm que procurar o banco com um projeto feito com o auxílio do Idam”, explicou o representante do Banco do Brasil.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.