Técnicas aumentam a produção de palma na Bahia

Salvador - O Programa de Segurança Alimentar do Rebanho da Agricultura Familiar do Estado da Bahia, desenvolvido pela Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola, (EBDA), vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), está transformando a vida de centenas de agricultores familiares do semiárido baiano. Só na microrregião de Senhor do Bonfim, mais de 300 produtores familiares já possuem reservas estratégicas de alimentos para os animais em período de estiagem e são orientados para o plantio adensado das mudas, resistentes à cochonilha-do-carmim, que alcança produtividade dez vezes maior que o modelo convencional.

O programa é uma iniciativa que objetiva a inclusão social do agricultor familiar, a geração de emprego e renda e a capacitação do agricultor para a convivência com a seca. Inicialmente, o programa atende 19 comunidades, pontos de convergência da caprinocultura e da bovinocultura de leite na microrregião de Senhor do Bonfim, território duramente castigado pelo longo período de estiagem.

O agricultor familiar Euclides Alves da Silva, 66 anos, morador da comunidade de Sítio do Açude, em Andorinha, é um dos que plantaram e colhem os frutos dessa metodologia. “Plantando e colhendo, a gente deu de comer para o gado. No dia em que nós cortamos a palma, plantada como a EBDA ensinou, tivemos grande vantagem, com produção muito maior do que antes. Ajudou muito nesta seca, além de economizar com a compra de ração para o meu rebanho, e ainda gasto menos tempo para plantar e colher. Agora eu já estou preparando a terra para quando der uma chuvinha eu arar e plantar pra colher muito mais.” afirmou Alves.

Os municípios de Antônio Gonçalves, Cansanção, Campo Formoso, Caldeirão Grande, Filadélfia, Itiúba, Jaguarari, Ponto Novo, Pindobaçu e Senhor do Bonfim já concluíram a primeira parte do programa, que consiste na apresentação e sensibilização da comunidade com relação à importância econômica e social das ações, identificação da área, preparo do solo, cercamento e plantio. Trata-se de um projeto liderado pela EBDA com a participação direta da comunidade na forma de mutirão.

Segundo Paulo Roberto Rafael de Freitas, responsável pelo projeto na região de Senhor do Bonfim, “neste diálgo existe a possibilidade de aprender, ensinar, construir e orientar o agricultor a se ajudar, não em um aprendizado unilateral, mas em uma contínua troca de saberes”.

Na microrregião de Senhor do Bonfim as ações são realizadas com parcerias. O Instituto Federal Baiano (IF Baiano) armazena e disponibiliza o caminhão para o transporte das mudas até as localidades; as prefeituras entram com os tratores para o preparo do solo, e a EBDA fornece os insumos e todo o preparo técnico dos agricultores familiares.

Fonte: Ascom EBDA | (71) 3116-1910/ 1803 | ebda.imprensa@ebda.ba.gov.br

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.